Funil do Marketing para Eventos

Insira seu e-mail no campo ao lado para podermos ajudar a tornar seu evento inesquecível!

Enviando...
14 de abril de 16   |    Nenhum Comentário

O Funil de Marketing aplicado a Eventos – Meio de Funil

Capa do funil do marketing de eventos

Este é o terceiro artigo de uma série de 6 que explicam a nossa visão do funil de marketing em eventos. No final deste artigo você encontra o link para todos os outros.

Como foi dito no artigo anterior, o topo do funil é constituído por atividades de ATRAÇÃO do cliente potencial, primeiramente para a feira e então para o estande. Para isso podemos utilizar diversas ferramentas e, ao nosso entendimento, a principal é a interatividade. Isso porque utilizando interatividade, além de atrair o visitante, é possível trabalhar todas as outras etapas do funil (e isso será tratado e explicado com profundidade nos próximos artigos desta série).

O fato é que, após atrair os clientes potenciais com êxito ao estande, é importante conhecer esses clientes para utilizar uma abordagem totalmente personalizada às necessidades dele nos próximos passos do processo de venda.
É importante, então, converter esse cliente, ou seja, pegar os dados dele para acompanhá-lo na jornada de compra a partir deste momento. A isso é dado o nome de CONVERSÃO.

Nos processos de marketing de conteúdo, as empresas oferecem materiais relevantes ao cliente (conteúdos) em troca dos dados pessoais. No caso de estandes, é comum ver empresas oferecendo brindes aos visitantes em troca destes dados. Outra prática comum em feiras e eventos é o uso de coletores de dados por código de barras. Neste outro post nós comentamos sobre estes coletores e se eles funcionam ou não.

Qualquer processo que colha os dados de seus clientes pode ser considerado como uma CONVERSÃO. É importante também, além de converter o lead, entender em qual etapa do processo de compra ele está. Dessa forma a equipe de vendas poderá trabalhar esse cliente potencial de forma totalmente personalizada. Nesse sentido é extremamente importante o alinhamento entre Marketing e Vendas para que não haja discrepância entre os discursos e abordagens.

meio do funil do marketing de eventos

Já é possível, então, com estas etapas bem delimitadas, traçar alguma métricas para uma medição mais efetiva do retorno do investimento de um evento. A primeira delas, tratada no primeiro artigo, é o número de visitantes do estande, que dividido pelo número total de visitantes da feira gera a taxa de conversão do Topo do Funil.

Tendo o número de visitantes do estande e a quantidade de cadastros ou pessoas que passaram seus dados para uma abordagem de vendas, podemos chegar à taxa de conversão do Meio do Funil.

Todos estes números podem ser usados no cálculo do Retorno do Investimento em Eventos de Marketing. Contudo, é necessário ter em mente que chegar a estes números tem o único intuito de trabalhar cada etapa no contexto para GERAR MAIS VENDAS. Ou seja, os números não tem significado sozinhos. Eles devem ser analisados no contexto e no conjunto. Utilizar esses números em análises isoladas pode servir para mascarar resultados ruins, o que impacta na estratégia global da companhia.

No fim do dia, caro leitor, se você não vender, coisas terríveis acontecem.

Continue acompanhando nossa série de artigos e obrigado pelo interesse.

resultado-eventos

Esta é uma série de 6 posts que serão lançados semanalmente. Abaixo você encontra todos os conteúdos:

Artigo 1: Introdução ao Funil de Marketing em Eventos
Artigo 2: O Funil aplicado a Eventos – Topo de Funil
Artigo 3: O Funil aplicado a Eventos – Meio de Funil (Este artigo)
Artigo 4: O Funil aplicado a Eventos – Fundo de Funil
Artigo 5: O pós evento
Artigo 6: Abordagem Sharespot ao Funil

 


Veja também:


Comentários

Facebook